Avançar para o conteúdo principal

Fazer com que as pessoas LGBT+ se sintam em casa

Todas as pessoas devem ter um local onde se sintam bem-vindas, incluídas e aceites. Contudo, apenas metade das pessoas LGBT+ sentem que podem ser abertas e honestas sobre quem são, até mesmo com a própria família. Juntos, podemos garantir que todas as pessoas da comunidade LGBT+ se sintam em casa.

Família constituída por dois progenitores e cinco crianças sentados num sofá, com um sinal a dizer "Home Pride Home" na parede atrás.

    Home Pride Home

    Transformámos a expressão "Home Sweet Home" (Lar, doce lar) num símbolo de inclusão e de aceitação. Descubra nas histórias do Instagram ou em GIPHY, tire uma selfie do espaço a que chama de casa e use o hashtag #HomePrideHome para assinalá-lo como apoiante da comunidade LGBT+.

    Para que cada vez mais casas, escritórios e escolas sejam espaços inclusivos, de tolerância e respeito, faça download deste símbolo e mostre-o com orgulho. Pode até bordá-lo numa almofada, como a avó Teresa, ou ajudar os seus filhos a colorir.


    Apoiar a comunidade LGBT+ com o saco arco-íris da IKEA

    Pode contribuir para esta causa hoje mesmo, ao comprar um saco STORSTOMMA. As inscrições para associações estão abertas até 11 de junho, para que desenvolvam um projeto que promova e defenda a igualdade e inclusão de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo. O projeto vencedor receberá um donativo no valor das vendas do saco STORSTOMMA, até ao limite de 10.000€ (dez mil euros).

    Inscrições e questões através do email parcerias@ingka.ikea.com


    Apoiar a comunidade LGBT+ começa em casa

    Neste dia internacional contra a homofobia, transfobia e bifobia (“IDAHOTB”), com o apoio que recebemos do programa Global Diversity Champions da Stonewall, compilámos uma série de ações que podem ser tomadas para assegurar que o espaço a que chama de casa é um local onde as pessoas LGBT+ podem sentir-se bem-vindas, incluídas e livres para serem elas próprias.

    Seja um aliado LGBT+

    Invista algum tempo a aprender a ter uma linguagem inclusiva, bem como a compreender as dificuldades que as pessoas LGBT+ vivem. Desse modo, se alguém quiser trocar impressões consigo sobre a respetiva identidade, orientação, desafios ou outros aspetos, poderá responder de uma forma mais adequada.

    Faça perguntas

    Se acha que uma pessoa de quem gosta poderá querer falar sobre a sua orientação sexual, identidade de género ou qualquer outra questão, mas que sente dificuldade em fazê-lo, experimente fazer perguntas abertas e amistosas, como por exemplo, "Como é que correu hoje o dia/trabalho/escola?" Essa pergunta poderá abrir a porta a uma conversa mais profunda.

    Denuncie a linguagem ofensiva

    Se ouvir alguém a falar de forma depreciativa, não ignore. Relembre gentilmente essa pessoa que isso não é aceitável e sugira que reflita sobre como poderá reformular o que disse.

    Responda positivamente às pessoas LGBT+ nos meios de comunicação

    Se uma pessoa ou personagem LGBT+ surgir num programa de televisão, num livro ou na Internet enquanto está a conviver com alguém em casa, use a situação como uma oportunidade para relembrar essa pessoa que aceita e apoia a comunidade LGBT+.

    Seja paciente

    Pode parecer contraintuitivo, mas é melhor esperar até que a pessoa com quem se preocupa esteja preparada para partilhar consigo. Se alguém for questionado sobre a sua orientação sexual ou identidade de género antes de estar pronto para falar do assunto, isso pode fazer com que se sinta ainda menos preparado para o fazer. Em alternativa, crie um ambiente seguro e acolhedor onde todos possam falar livremente e deixe a pessoa escolher o momento certo.

    Não se esqueça, as palavras são importantes

    Referir-se a alguém como "ele/ela" com base nos nossos próprios pressupostos pode fazer com que essa pessoa se sinta desconfortável e indesejável. Pergunte sempre como esta pessoa deseja ser tratada, e respeite a sua posição.

    Cuide também do seu bem-estar

    Cuidar e preocupar-se com todos os que vivem na sua casa, especialmente se estiverem a experienciar sentimentos negativos sobre eles próprios ou sobre o seu ambiente, pode ser uma situação bastante difícil. Garanta que também tem um bom sistema de apoio.


    Podcast Igualmente

    Conversas sobre diversidade, igualdade e inclusão, conduzidas por Rui Maria Pêgo, na casa onde há sempre espaço para todos: a IKEA.

    Acreditamos que todas as pessoas, independentemente das suas circunstâncias ou de qualquer dimensão da sua identidade, têm o direito de ter acesso às mesmas oportunidades e a serem tratadas IGUALMENTE.

    Porque a singularidade de cada um torna-nos melhores. A nós. E ao mundo.


    O progresso feito na IKEA

    Estamos a usar a nossa dimensão e influência para defender os direitos LGBT+ para além da IKEA. Em conjunto com outras empresas, a sociedade civil, os nossos colaboradores e clientes, queremos ser uma força positiva para a mudança, através do apoio a medidas legislativas, investimentos na educação e campanhas de sensibilização que acabem com os estereótipos da comunidade LGBT+.

    • Temos um plano global de inclusão LGBT+ para garantir que todos na nossa empresa estão aptos a criar um local e um ambiente de trabalho que acolhe pessoas de todas as orientações sexuais e identidades de género;
    • Lançámos recentemente as nossas ferramentas globais para a inclusão transgénero para responsáveis diretos, que contêm diretrizes globais visando a criação de um local de trabalho e equipas transinclusivos;
    • Disponibilizamos ofertas de formação aos nossos colaboradores sobre a inclusão, os preconceitos inconscientes e questões LGBT+ para cimentar o nosso apoio a estas causas;
    • A IKEA tem orgulho em ser membro da Workplace Pride Foundation e do programa Global Diversity Champions da Stonewall, sendo que ambas as organizações estão focadas na inclusão LGBT+ no local de trabalho;
    • Cocriámos e apoiámos o Código de Conduta das Nações Unidas (“UN Standards of Conduct”) no combate à discriminação em relação às pessoas LGBT+ nos locais de trabalho e na comunidade;
    • Também somos parceiros ativos da Open for Business, uma coligação de empresas que promove a inclusão LGBT+ e pretende dar resposta à crescente reação contra a comunidade LGBT+ verificada em muitas partes do mundo;
    • Temos um compromisso de negócio global para a igualdade racial, o que inclui aumentar a diversidade étnica, racial e nacional em todos os níveis de liderança em 30 países, até 2024.