Ir à página inicial

Trabalhar no GRUPO IKEA
Há uma história de colaboradores
por detrás de cada produto
Encorajamos os nossos colaboradores a seguirem as suas paixões, a experimentarem novas funções ou a continuarem a crescer na função que adoram. Explore algumas das histórias de colaboradores e verá que cada viagem é única e gratificante. Como será a sua viagem na IKEA?
Silhuetas de produtos IKEA a representar diferentes áreas de trabalho
Image of Sunny Wei, DC/CDC Songjian Manager, Distribution Services Provider
Sunny Wei
DC/CDC Songjian Manager,
Distribution Services Provider
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Vendas
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei a trabalhar na IKEA há 9 anos como Supply Quality Team Leader, para o Distribution Service Asia Pacific. Desde então, já desempenhei várias funções: SQ Team Leader, Product Quality Team Leader, Customs Manager – e, atualmente, trabalho como DC/CDC Songjiang Manager no Distribution Services Provider China, com sede em Xangai. Trabalhar em várias funções é uma ótima experiência. Permite-me contribuir para ter clientes felizes de várias maneiras.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
A IKEA é um ótimo local para se trabalhar. É uma empresa que dá às pessoas a fantástica oportunidade de realizar os seus sonhos. Aprendo muito sobre o negócio e adquiro um grande conhecimento profissional em diversas áreas, contribuo para pôr em prática muitas ideias, conheço líderes inspiradores e aprendo com eles - e, para além de tudo isso, faço muitas e boas amizades. Após 9 anos de trabalho na IKEA, ainda sinto que cada dia é uma novidade.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Na China, estamos a experienciar um emocionante crescimento e expansão. Por exemplo, em breve estaremos a interagir com os nossos clientes através de mais canais do que os que temos agora. Eu e os meus colegas estamos muito empolgados em fazê-lo acontecer: estar mais próximo dos nossos clientes e tentar ir ao encontro ou mesmo exceder as suas necessidades.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Ter sempre o cliente como prioridade e ser prático na forma como atua. Para além disso, acredito em dois aspetos básicos: ser genuíno e seguir o coração.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
A união! Durante todo este tempo na IKEA, alcançámos ótimos resultados por trabalharmos juntos, entre várias funções. Acredito que esta é a melhor forma de criar um dia a dia melhor para a maioria das pessoas.
grey line
Fotografia de Hector Bianchi, Project Controller, Gestão de Projetos
Hector Bianchi
Project Controller,
Gestão de Projetos
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Gestão de Projetos
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
A minha viagem com a IKEA começou nos EUA, como cliente. Era fã da IKEA. A minha namorada tinha começado a trabalhar na IKEA e nós mudámo-nos para a Suécia. Apercebi-me de que havia de adorar trabalhar na IKEA e, alguns meses depois, comecei na área de Comunicação como product communicator. Nos EUA, tinha trabalhado com web design e marketing online. Fui trabalhar com símbolos, instruções e embalagens. Foi muito divertido lidar com as instruções de montagem, tentando comunicar apenas com imagens. Era fantástico, porque estamos sempre a tentar melhorá-las e a torná-las mais compreensíveis. Queria muito experimentar a área de gestão de projetos, por isso, comecei a explorar a IKEA of Sweden (Range & Supply). Tive uma entrevista com uma pessoa do recrutamento e consegui a função de Project Controller. Colocávamos ideias num plano de ação e transformámo-las em produtos físicos para as lojas. A minha função era manter os projetos dentro dos prazos e gerir as calendarizações e os riscos.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Um dos aspetos que me atraiu na IKEA foram os valores da empresa. Partilho desses valores enquanto pessoa. Para mim, correspondem ao bom senso. Muito do que fazemos é bom para os clientes e para o ambiente. Consequentemente, é positivo para a IKEA. Não começamos ao contrário. Queremos mesmo criar uma vida melhor para as pessoas.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Sinto que estamos mesmo a mudar a vida das pessoas. Todos os dias, venho trabalhar a pensar que posso fazer muitas pequenas diferenças. Sou responsável por manter os projetos dentro dos prazos, mas trata-se de um trabalho de equipa. Construímos o plano juntos e fazemos o seu seguimento também em conjunto. Para mim, esta é a tarefa mais gratificante, porque tudo é construído em conjunto.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
É mesmo muito divertido. E a IKEA trabalha com tantos aspetos diferentes relativos ao negócio de móveis. Temos o fornecimento, o desenvolvimento de produtos, o retalho e muito mais. Há muitas maneiras de contribuirmos. É um ótimo local para crescermos como pessoas e profissionalmente.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Um dos valores com que mais me identifico é a consciência de custos. Não quer dizer fazer móveis baratos. Significa fazer móveis duradouros e bons para a casa. Somos integradores e queremos que todos tenham uma vida melhor. Temos espaço para experimentar. Não faz mal cometer erros e experimentar coisas novas, porque sabemos que, no final, esse é o caminho para o sucesso. Os valores IKEA fazem-me sentir bem-vindo. Mas também desafiam-me.
grey line
Fotografia de Samuel Blom, Operador, IKEA Industry
Samuel Blom
Operador,
IKEA Industry
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho IKEA Industry
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Começou por ser um trabalho de verão. A partir daí, foi-me oferecido um contrato permanente. Ensinaram-me mais pormenorizadamente sobre a linha de produção e, agora, controlo uma das grandes prensas. É muita responsabilidade. Tenho de garantir que tudo funciona bem e assegurar a segurança.
Porque é que quiseste vir trabalhar na IKEA?
Interessei-me pela IKEA por causa das oportunidades. Por exemplo, tive a oportunidade de ter formação na área de higiene e segurança e de, depois, partilhar esse conhecimento com os meus colegas. Foi muito divertido dar formação a outros colaboradores.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Sinto-me cheio de energia por saber que, na nossa empresa, estamos no coração das operações. Estamos no centro das operações, por isso, temos de conseguir identificar qualquer problema que possa surgir. Comecei sem grandes conhecimentos sobre maquinaria, mas, agora, tenho aprendido muito. Aprendi muito com as pessoas à minha volta. Aprendi sobre mecânica e sobre como as coisas funcionam. Estou sempre a aprender coisas novas. Nós operamos em grande escala. É uma grande responsabilidade porque envolve muita coisa.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
O meu melhor conselho é: se estiver disposto a trabalhar e a empenhar-se bastante pode aprender e crescer muito. Os colaboradores são inspiradores e prestáveis. Querem ensinar. Oferecem-se para ajudar. Quando precisamos de respostas, mostram-nas. Isso foi muito positivo para mim. Gosto de colocar questões e eles preocuparam-se em dar respostas.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Quero desenvolver-me. Quero ser um melhor operador. Ainda sou muito novo aqui, mas começo a perceber e a saber mais. Dou formação a colaboradores. Também tenho a oportunidade de me desenvolver de outras maneiras. O meu sonho é trabalhar na área da segurança e dar formação a pessoas é um dos passos. É uma grande empresa, por isso, temos acesso a muitas oportunidades. Os Recursos Humanos são muito abertos a mostrarem diferentes funções. Mesmo começando como operador, podemos crescer. Podemos experimentar coisas novas. Os responsáveis não estão acima de nós. Tratam-nos como iguais. É uma nova experiência para mim.
grey line
Fotografia de Souzan Meana, Team Manager, IKEA IT
Souzan Meana
Team Manager,
IKEA IT
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho IKEA IT
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei há dois anos, quando me candidatei ao programa de formação para responsáveis IKEA, na Suécia. A minha formação é na área das IT e, como parte do programa, fiz equipa com o CIO. Mal conhecia a IKEA e, subitamente, estava a trabalhar com todos os líderes. Foi fantástico, mas também bastante exigente. Tive muita sorte em poder conhecer a IKEA tão bem em tão pouco tempo. O meu passo seguinte é tornar-me líder. Aceitei a função de team manager. Tem sido uma ótima experiência. A melhor parte é poder experimentar muitas coisas e todos os tipos de liderança e de gestão. Cometo muitos erros todos os dias, mas sinto que estou num ambiente seguro, onde posso experimentar e errar em conjunto com a minha equipa.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Procuro o significado em tudo o que faço, por isso, a visão de “criar um melhor dia a dia para a maioria das pessoas” tem muito significado para mim. Gosto do facto de ser um negócio familiar e não de acionistas. Significa que podemos pensar a longo prazo.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Gosto de liderar pessoas e de as ajudar a crescer. Mas é mais fácil dizer do que fazer. É o que mais gosto de fazer, mas é também muito desafiante. A função envolve muito mais do que isso. Esforço-me bastante por criar as circunstâncias certas para os colaboradores poderem fazer um bom trabalho. Se o poder fazer, fico feliz.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Confie em si próprio e seja autêntico consigo mesmo. Quando tentamos ser outra pessoa, não estamos a dar o nosso melhor. Sou o melhor que posso ser quando sou verdadeira comigo mesma e com as minhas capacidades. Tenho um responsável em quem posso confiar. Sinto que alguém acredita em mim.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Para mim é a união, porque é um dos meus valores essenciais. Recruto muitas pessoas e este é um dos aspetos que procuro. Se queremos conseguir fazê-lo em conjunto, temos de partilhar este valor.
grey line
Image of Bill Lo, Product Requirement Engineer, Design and Product Development
Bill Lo
Product Requirement Engineer,
Design e Desenvolvimento de Produto
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Design e desenvolvimento de produto
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Estava em Hong Kong a trabalhar numa empresa de móveis de escritório quando vi um anúncio de emprego no site da IKEA. Procurava novas formas de me desenvolver e esta função parecia-me uma boa maneira de o fazer. Fiquei com o trabalho e mudei-me para a Suécia. Tinha muito a aprender aqui. Ao mesmo tempo, aprendi muito com os meus colegas. Ensinaram-me tudo relativamente ao processo de desenvolvimento de produto, materiais e os requisitos por detrás dos produtos. Por vezes, os nossos clientes veem uma mesa e pensam que é só uma mesa. Mas, o que está escondido é tudo o que fizemos em relação aos materiais, às superfícies, à segurança, à durabilidade e muito mais.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Um dos principais motivos foi a ótima reputação da IKEA. Quando vi o anúncio a que me candidatei, fiz uma breve pesquisa para me contextualizar. O feedback e os comentários sobre a empresa eram positivos. Pensei que podia vir a ser muito feliz a trabalhar na IKEA.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Gosto de trabalhar com produtos que utilizem materiais novos. A seguir, desenvolvemos muitos requisitos e verificamos fatores, como propriedades mecânicas, resistência ao raios UV, a forma como reage ao calor e à humidade e muito mais. É tudo novo para mim, por isso, sinto-me muito feliz por trabalhar com tudo isto. Acho bom a IKEA estar disposta a trabalhar com novos materiais. Já trabalhei na indústria dos móveis, mas não na utilização de novos materiais. Na IKEA, nós experimentamos. Podemos vir a falhar, mas queremos evoluir, para sermos cada vez mais sustentáveis.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
É uma boa empresa para se trabalhar porque há muita liberdade. E temos muito apoio por parte dos outros colaboradores. A cultura que tenho experimentado na IKEA é a de que aceitamos os erros e aprendemos com eles. E lembro-me do nosso líder dizer-nos que não devemos pedir permissão. Devemos pedir desculpa.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Tillsammans. Tudo o que fazemos, fazemos enquanto equipa e apoiamo-nos mutuamente. E gosto da nossa cultura “ousar ser diferente”. Não estamos apenas satisfeitos com a nossa atual gama de produtos. Estamos a desenvolver-nos mais com diferentes designs e materiais. Estamos sempre a questionar: Podemos fazer melhor?
grey line
Fotografia de David Johansson, Product Developer, IKEA FOOD
David Johansson
Product Developer,
IKEA FOOD
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho IKEA FOOD
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Sou chef de formação. Trabalhei em todos os tipos de restaurantes. Tive uma cadeia de cafés suecos em Nova Iorque, por isso, estou habituado a trazer a comida sueca a um público internacional. Quando me mudei para a Suécia, comecei a pensar em trabalhar na IKEA. Contactei IKEA FOOD e foi-me oferecida a função de Product developer para a Activity range. Estive nessa função durante dois anos e foi ótimo, mas sentia que o desenvolvimento de produto era demasiado limitador. Por isso, sugeri que seria necessário alguém especializado no desenvolvimento de receitas. Pude desenvolver a minha própria função. Atualmente, temos equipas organizadas de forma muito semelhante ao que fazemos no desenvolvimento dos produtos IKEA.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Queria poder fazer algo a uma escala global, com a possibilidade de influenciar muitas pessoas. Na IKEA, temos muito espaço para experimentar, pois temos o restaurante, o bistro, a Loja Sueca, pratos quentes, pratos frios, etc. O design democrático é para móveis, mas se pensarmos na comida, é quase a mesma coisa. Por isso, estamos a tentar trabalhar com aquilo em que a IKEA é boa e traduzi-lo para a comida.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Trabalhar em conjunto com fornecedores para criar produtos é a tarefa mais divertida. Juntos, podemos fazer a diferença. Só agora começámos e o mais emocionante é que sentimos que está realmente a acontecer.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Muito do que faço é olhar para relatórios de tendências, quais os produtos que precisamos de ter e como podemos traduzi-los de uma forma IKEA. A seguir, começo a cozinhar, a testar e a reunir-me com os fornecedores.
Do que gostas mais na cultura e nos valores IKEA?
Gosto do facto de pensarmos não só no planeta, mas também nas pessoas. Interessa-nos as pessoas por detrás dos produtos que vendemos. Queremos ter pessoas saudáveis e felizes, a trabalhar com as condições de trabalho certas. Olhar para algo a uma escala tão global é algo único. Mantemos a mentalidade do local, mesmo sendo globais. Somos enormes, mas pensamos numa escala pequena, o que é bom. Ter tido a oportunidade de criar a minha própria função foi algo fantástico que a IKEA me proporcionou. Não sei se muitas outras empresas o fariam.
grey line
Fotgrafia de Eldin Topic, Manager Sales & Supply Support, Logística
Eldin Topic
Manager Sales & Supply Support,
Logística
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Logística
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei no centro de distribuição de Älmhult como operador de empilhadoras e aí trabalhei durante seis anos. Há dois anos, comecei a trabalhar numa loja IKEA como colaborador de Logística. Depois, candidatei-me a um programa de “aspirantes” e comecei a trabalhar em Sales & Supply Support. Durante toda a minha vida trabalhei em Logística. Sinto-me muito confortável nesta área, mas queria algo mais desafiante. Foi por isso que escolhi deixar a minha zona de conforto. Esta nova função permite-me explorar o mundo das vendas, o que é interessante.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Estava a estudar, por isso, precisava de trabalhar. Depois de trabalhar num centro de distribuição, decidi experimentar uma loja IKEA, mesmo com um salário inferior. Começou por ser um trabalho de verão, com um horário de seis horas por semana. Resolvi arriscar, esperando que se transformasse em algo mais.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Sinto-me inspirado a mostrar aos meus colaboradores que podem fazer mais e que podem crescer. Mas isso depende deles. Não o posso fazer por eles. Coloco as oportunidades ao seu dispor e apoio no que for preciso. Mas são eles que devem dar esse passo. Inspirá-los é muito importante para mim. O cliente é a nossa maior responsabilidade. Todos os dias esperamos satisfazer as expetativas dos clientes. Digo sempre aos meus colaboradores que não estão apenas a mover paletes. Para mim, estão a mover os sonhos das pessoas. Não é apenas conduzir uma empilhadora e ir para casa.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Não escolha o seu trabalho. Escolha o seu responsável.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Gosto do facto de oferecermos produtos para todo o tipo de pessoas e para todo o tipo de carteiras. Estamos sempre em busca de melhores soluções. Não só mais acessíveis, mas também melhores para os nossos clientes. É como se cada passo que damos fosse para o cliente, não para nós. Queremos responder às suas expetativas. Os responsáveis na IKEA têm a capacidade para encontrar o potencial em cada pessoa. Por vezes, somos capazes de fazer coisas que nunca imaginámos poder fazer. Quando trabalhava como colaborador base, nunca pensei em ser responsável. Mas o meu responsável viu isso em mim e enviou-me para o programa de “aspirantes”. Isso é algo muito único na IKEA.
grey line
Fotografia de Jakob Dackander, Secção de Quartos, Vendas
Jakob Dackander
Secção de Quartos,
Vendas
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Vendas
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei na secção de Quartos no verão de 2014. Trabalhei durante o verão para poder pagar o bilhete e o passaporte para a Austrália. A seguir, candidatei-me a um trabalho em Sydney, onde trabalhei em Logística. Durante os fins de semana, trabalhava no que gostava, que era vender camas. Era estranho, porque a gama lá é diferente. Fi-lo durante quatro meses e meio e, a seguir, fui viajar. Durante o período em que vivi na Austrália, mantive-me em contacto com o meu responsável em Älmhult e, quando voltei para a Suécia, ofereceram-me um trabalho de verão. Desde então, já se passou quase um ano. E estou novamente a vender camas.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
O principal motivo é a possibilidade de viajar e as oportunidades internacionais. Sabia que seria uma possibilidade se trabalhasse na IKEA. O que faço aqui em Älmhult poderia fazê-lo em qualquer outro país.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
A parte mais inspiradora é a possibilidade de ajudar outras pessoas. Neste momento, trabalho sobretudo na secção de Quartos, e é muito difícil escolher a cama certa se não soubermos o que estamos a fazer. O meu conhecimento advém da formação da IKEA. Aprendemos muito com a IKEA. E, assim, posso ajudar as pessoas a terem uma vida melhor.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Se formos nós próprios, as pessoas vão aceitar-nos como somos. E isso também acontece com os clientes. Eles aceitam-me como sou. Quando estou na loja, não tento necessariamente vender o mais que puder. Apenas tento ser eu próprio e falar com as pessoas como o faria normalmente. Quando fui à minha entrevista, julgo que me recrutaram por esse motivo, por ser eu próprio. Não faz sentido alterar isso. Seja natural.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
União. O facto dos nossos responsáveis não estarem acima de nós. Eles têm responsabilidades diferentes, mas posso falar com o meu responsável sobre tudo. Só tenho 21 anos, mas quando partilho uma ideia com o meu responsável, esta é vista com seriedade. Não me afastam por ser jovem. Todos podemos contribuir. Se forem apenas algumas pessoas, não vai funcionar. É a união. É a simplicidade.
grey line
Fotografia de Maria Andersson, Centre Manager, IKEA Centres
Maria Andersson
Centre Manager,
IKEA Centres
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho IKEA Centres
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Trabalhei em retalho de moda durante 20 anos antes de vir para a IKEA Centres, há dois anos. Sempre senti uma paixão por vendas e pelos clientes. Quando comecei como Centre manager, tive a oportunidade de aprender muito sobre relações e sobre como trabalhar em conjunto com os lojistas. Desenvolvi-me dessa forma. Gosto bastante porque, atualmente, posso trabalhar de uma maneira muito abrangente - não há dois dias iguais.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Cresci numa aldeia perto de Älmhult, por isso, a IKEA fez parte da minha infância. A IKEA é um dos empregadores mais atrativos na Suécia, por isso, quando consegui experimentar algo novo e na IKEA, achei que seria uma ótima oportunidade. Também sabia que poderia conduzir a outras possibilidades no futuro. Por isso, atualmente, sinto-me muito satisfeita de estar onde estou. Mas também sei que, no futuro, se gostasse de vir a conhecer um pouco mais do mundo, teria essa oportunidade.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Adoro trabalhar em parceria com os nossos lojistas. É divertido criar algo com eles que inspire os clientes a visitarem-nos. A visita começa no parque de estacionamento, por isso, temos de trabalhar com o ambiente durante todo o percurso, desde o estacionamento até ao centro comercial, ao mesmo tempo que também inspiramos as pessoas a visitarem a IKEA. O principal aspeto com que trabalhamos é a criação de pontos de encontro para todas as pessoas, onde possam desfrutar de boas experiências quando nos visitam. Também me inspiro na nossa equipa do centro comercial e na forma como trabalhamos juntos, nos apoiamos e nos envolvemos mutuamente em diferentes tarefas.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
É importante colocar sempre o foco no cliente em primeiro lugar, tanto para os lojistas como para os visitantes. Tudo o que fazemos deve ser para os clientes. Devemos sempre questionar-nos: “Isto é bom para os lojistas ou para os clientes?” É importante envolvê-los no processo e trabalhar em conjunto.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Gosto muito da humildade e da força de vontade. Também gosto do facto de falarem sobre os valores no dia a dia. Podemos discuti-los se estivermos no caminho certo. Enquanto líder, quando tomamos uma decisão, devemos questionar-nos se estamos a liderar pelo exemplo. Se sim, devemos avançar. Julgo que é minha responsabilidade dar vida aos valores no nosso trabalho. Porque, se enquanto líder não o fizermos, serão apenas palavras numa parede. É importante trabalharmos juntos e incluir todas as pessoas com quem trabalhamos.
grey line
Fotografia de Josefin Matsdotter Berggren, Designer de Interiores, Communication & Interior Design
Josefin Matsdotter Berggren
Interior Designer,
Communication & Interior Design
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Communication & Interior Design
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Trabalhava como designer freelancer em Estocolmo, mas sempre quis trabalhar na IKEA. Durante um ano, conclui vários cursos e, no fim, consegui um estágio na IKEA. Queria estar em Älmhult, onde tudo tinha começado. Há já um ano que trabalho na loja IKEA em Älmhult.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Trabalhar na IKEA estava nos meus planos desde criança. Ir à IKEA era super divertido. Mantinha-me atualizada sobre todas as coleções. A IKEA sempre foi importante para mim. Ambas temos uma linguagem de design. Adoro ver a forma como todos os anos se transforma em artigos novos. Sinto um grande orgulho em fazer parte de tudo isto. Para além disso, temos muitas culturas, o que traz ideias diferentes e inúmeras oportunidades.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Adoro construir um espaço. Tentar imaginar as pessoas que aí vivem e o que desejam. Criar uma história. É muito interessante. Ainda sou muito nova na IKEA, mas sinto que as pessoas nos dão sempre a oportunidade de pensar fora da caixa. Isso permite-me manter a minha criatividade. Ao mesmo tempo, preciso de mostrar artigos que vendam. De alguma forma, tem muito a ver com filosofia. Tem a ver com pessoas.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
É muito mais do que poderás pensar. Há muitos fatores a considerar, mas começa sempre com a maioria das pessoas. Não tem a ver com as últimas tendências, mesmo que também seja necessário conhecê-las.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Gosto do facto de toda a gente ajudar. Todos são valorizados pelos pontos fortes que trazem, mais do que serem considerados diferentes. Em termos gerais, a IKEA consegue fazer sobressair o melhor nas pessoas, em vez de as fazer todas iguais. Tem a ver com descobrir o melhor em cada um e permitir que esse melhor floresça.
grey line
Fotografia de Jackline Kibunja, Team Leader, Serviço de Apoio ao Cliente
Jackline Kibunja
Team Leader,
Serviço de Apoio ao Cliente
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Serviço de Apoio ao Cliente
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei em novembro de 2011 com um estágio de seis meses. Gostei muito do estágio e do que fazia. Ofereceram-me um trabalho em 2012 e, desde então, tenho estado a trabalhar na IKEA Malmö.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Estava à procura de um emprego e a IKEA é um dos melhores empregadores na Suécia. Quis experimentar.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Adoro estar na loja, enquanto Team leader. É desafiante, mas gosto muito de o fazer. Tem um ritmo muito rápido. Recebemos os clientes, estamos na caixa e estamos sempre a ajudar e a responder a muitas perguntas. Aprendemos enquanto responsável de equipa. É desafiante e divertido. Gosto de trabalhar com pessoas. Gosto de falar com as pessoas e ajudá-las, tanto os clientes como os colaboradores.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
Diria que teria de gostar de pessoas. Tem de ser capaz de interagir com as pessoas e de tolerar o stress. Tem de se manter positivo durante todo o dia e ter um sorriso para todos, desde o primeiro até ao último cliente. Habituamo-nos e podemo-nos concentrar no cliente que temos à nossa frente.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Gosto da forma como nos tratamos mutuamente. Vemo-nos como iguais. Até o responsável é tratado como igual. Gosto desse aspeto da IKEA. Gosto da forma como contratamos pessoas de todas as culturas. Dão a toda a gente a oportunidade de trabalhar aqui. Nem sempre interessa as habilitações que temos; é aqui que adquirimos a experiência. Todos temos uma voz.
grey line
Fotografia de Tobias Johansson, Analyst, Comércio Eletrónico
Tobias Johansson
Analyst,
Comércio Eletrónico
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Comércio Eletrónico
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Trabalhei como consultor durante alguns anos, mas quis voltar a trabalhar numa empresa novamente. Quando tive a oportunidade de juntar-me à IKEA não pensei duas vezes. Trabalhar numa empresa dá-nos uma maior compreensão do negócio e passamos a fazer parte dos projetos do início ao fim.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Sempre gostei da marca IKEA. Tendo nascido na Suécia, cresci rodeado de móveis IKEA. De um ponto de vista profissional, poder analisar um dos maiores sites de retalho da Suécia pareceu-me um desafio super interessante. Com quase 10% da população sueca a visitar o nosso site todas as semanas, temos dados muito sólidos para poder analisar o comportamento dos utilizadores e o desempenho do site.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
O meu trabalho é dar sentido aos dados recolhidos nas nossas plataformas digitais. Inspira-me poder identificar e resolver as questões dos nossos clientes, tornando a sua experiência de compra um pouco melhor. Ao compreender o comportamento online dos nossos clientes através de Web analytics, questionários e testes A/B, sabemos quais as áreas a melhorar. Se descobrimos maneiras de aumentar a nossa taxa de conversão no comércio eletrónico, nem que seja um pouco mais, isso faz uma diferença enorme para o negócio. Isso torna o meu trabalho muito gratificante e também divertido. Ainda há muito potencial para melhorar a experiência de compra na IKEA e torná-la mais pessoal.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
A paciência é a palavra chave. Quando estamos na IKEA há pouco tempo, demora algum tempo até compreendermos como a empresa funciona e quem está a fazer o quê. Sentimo-nos novos no trabalho durante muito tempo. Devemos também compreender que não somos pioneiros na indústria digital, mas estamos a ganhar velocidade e a movermo-nos na direção certa. Há um grande potencial.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Todos são positivos, simpáticos e prestáveis, qualquer que seja o seu nível ou função na empresa. Apesar de ser uma empresa multinacional, existe uma sensação familiar própria das pequenas empresas.
grey line
Fotografia de Stefania Nervi, Global Content Catalogue Specialist, Marketing e Comunicação
Stefania Nervi
Global Content Catalogue Specialist,
Marketing e Comunicação
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Marketing e comunicação
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Mudei-me para Londres para fazer um mestrado. Vi um anúncio para um estágio na IKEA e pensei que seria fantástico poder trabalhar lá, mesmo estando a estudar; seria apenas por alguns meses. Contudo, acabaram por me oferecer um contrato permanente, com o qual nunca tinha sonhado. Só estava a trabalhar há cinco anos e tive a oportunidade de trabalhar com uma equipa de Comunicação global.
Porque é que quiseste vir trabalhar para a IKEA?
Estudei e apaixonei-me pela Comunicação. Na minha infância, em Itália, lembro-me de que a IKEA era muito diferente das outras empresas. O estilo da comunicação externa expressava que se tratava de uma empresa integradora, e foi isso mesmo que experimentei dentro da empresa. A comunicação na IKEA foi sempre única e eu sempre gostei disso. O Catálogo era uma coleção de casas de sonho e, sempre que folheava as suas páginas, imaginava-me a viver nesses espaços, escolhendo um diferente todos os dias. Sempre quis trabalhar no Catálogo IKEA. O meu trabalho de sonho sempre foi trabalhar no conteúdo do Catálogo. Mas nem sabia que a minha atual função existia. É o meu trabalho de sonho.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
A minha paixão pelo Catálogo foi um dos aspetos que me levou a aceitar esta função. Sinto-me muito entusiasmada por trabalhar no Catálogo porque vejo-o como uma comunicação global que chega à casa de muitas pessoas. Pode realmente mudar a vida das pessoas. Não conheço nenhuma outra comunicação que recebamos que tenha a intenção de nos dar um dia a dia melhor. É um meio de comunicação que muda as nossas vidas.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
O Catálogo IKEA chega a casa de muitas pessoas, com muita inspiração sobre como viver uma vida melhor em casa. Pode desencadear novas maneiras de olharmos para as nossas casas: desde resolver alguns incómodos que nem sabíamos que existiam, até aos grandes projetos e soluções. Na IKEA, tem tudo a ver com a paixão de melhorar a vida das pessoas. Como viver melhor nas nossas casas. O Catálogo IKEA é um meio global, por isso, temos de ter em consideração a diversidade global e a forma com as diferentes culturas percecionam as diferentes mensagens.
Do que gostas mais
na cultura e nos valores IKEA?
Gosto do facto da empresa e dos colegas nos ajudarem a crescer. Também gosto da oportunidade da mobilidade internacional. Podemos ir para qualquer lugar do mundo e fazer imensas coisas. Nesta empresa, as possibilidade são realmente inúmeras. Podemos ir da Logística para os Recursos Humanos e daí para o Marketing, atravessando todas as funções.
grey line
Fotografia de Sofie Johansson, Trocas e devoluções, Serviço de Apoio ao Cliente
Sofie Johansson
Trocas e devoluções,
Serviço de Apoio ao Cliente
Silhueta de um artigo IKEA a representar a área de trabalho Serviço de Apoio ao Cliente
Como começaste a trabalhar na IKEA e o que
tens feito?
Comecei no Contact center, a atender chamadas de clientes. Sou sociável e adoro pessoas. O meu responsável apercebeu-se disso e compreendeu que seria mais feliz atendendo diretamente os clientes. Ele ajudou-me a contactar o responsável de Serviço de Apoio ao Cliente de uma loja IKEA. Conversámos e ambos soubemos que era o melhor para mim. Quando surgiu uma vaga, candidatei-me e fui escolhida.
Porque é que quiseste vir trabalhar na IKEA?
Cresci com a IKEA. Não conhecia muito sobre a IKEA, mas quem é que não quer vir trabalhar para aqui? Podemos fazer muito e ser o que quisermos. É mesmo para todos. É mesmo uma família.
Quais são as responsabilidades ou
tarefas mais inspiradoras da tua função atual?
Gosto de resolver questões. É algo feito à medida para mim. Começar a trabalhar na loja foi um dos momentos mais felizes da minha vida. Estou muito feliz e adoro o que faço. Cada cliente é diferente. Sou criativa, por isso, resolver situações é muito divertido para mim, mesmo quando não são muito fáceis. Proporcionaram-me uma grande formação em termos de gama de produtos. Os meus conhecimentos são muito bons e adoro passá-los aos meus colegas. Sinto-me inspirada a ajudar os clientes aborrecidos e frustrados a voltar a confiar na IKEA. É um sentimento fantástico.
Que conselho darias a alguém que gostasse de ter
este trabalho?
No Serviço de Apoio ao Cliente, os colaboradores que recebem os clientes são os primeiros que veem e os operadores de caixas são os últimos. Nós ligamos toda a experiência dos clientes e construímos uma boa relação. Temos todo este conhecimento porque conhecemos toda a loja. Para mim, isso é realmente inspirador. É por isso que trabalho no Serviço de Apoio ao Cliente. Temos de gostar muito dos clientes. Também aprendemos muito sobre nós próprios. Aprendemos sobre as pessoas, os clientes e nós próprios. É inspirador e é por isso que gosto tanto do meu trabalho.
Do que gostas mais na cultura e nos valores IKEA?
Sou uma pessoa humilde. Mas tenho sempre um brilho nos olhos e uma vontade de facilitar cada situação. Para mim, é algo natural. Não preciso que exista uma separação entre responsável e colaborador. O meu responsável e os meus colaboradores são pessoas como todos nós, e isso inspira-me. Para mim, é muito importante ter um bom líder. É por isso que gosto de liderar pelo exemplo. Gosto do sentimento que o meu responsável me passa de que posso fazer tudo o que quiser. Sinto que posso ficar a saber muito sobre um determinado tema rapidamente. Que posso progredir. Sinto que o meu responsável e os meus colaboradores estimulam-me a ser melhor e ajudam-me a avançar.
TAMBÉM PODERÁ ESTAR INTERESSADO EM:
Pessoas Positivas, Planeta Positivo
Para um futuro sustentável
Descubra o que é a sustentabilidade para nós e como trabalhamos para cuidar das pessoas e do planeta. Saiba mais em Pessoas Positivas, Planeta Positivo.
foto de uma rapariga indiana numa sala de aula
SOBRE O GRUPO IKEA
A nossa organização
Se gostaria de saber mais sobre o que fazemos antes de se candidatar a uma vaga, pode fazê-lo aqui: Sobre o Grupo IKEA .
Um jovem a beber café num Restaurante IKEA