A Vida em Casa

O que faz de uma casa, uma casa?

Dois homens num sofá O homem mais velho tem auscultadores e um portátil no colo
O QUE FAZ DE UMA CASA, UMA CASA?
BEM-VINDO AO NOVO RELATÓRIO A VIDA EM CASA
O Relatório A Vida em Casa IKEA explora a forma como as pessoas vivem em suas casas em todo o mundo. Este ano, vamos aprofundar o nosso conhecimento sobre o que é que as pessoas realmente pensam e sentem sobre as suas casas.
Por isso, faça o favor de entrar!
A VIDA EM CASA
A IKEA lança o terceiro Relatório A Vida em Casa anual, que explora a forma como as pessoas vivem em suas casas em todo o mundo. As conclusões baseiam-se numa combinação de um novo questionário quantitativo, antigos questionários IKEA e de outros estudos publicados. Este ano, vamos aprofundar um pouco mais, para saber o que as pessoas acham que faz de uma casa, uma casa. O objetivo deste relatório é aumentar o conhecimento e estimular a discussão sobre o que significa um melhor dia a dia.
As pessoas dizem que a casa está onde está o coração. Mas, o que é que realmente faz de uma casa, uma casa? E o que nos faz sentir que um determinado lugar é a nossa casa?
Olhámos para estas questões a partir de quatro dimensões: o nosso espaço, as nossas coisas, as nossas relações e o nosso bairro.
Na IKEA, temos sempre curiosidade sobre a vida das pessoas em casa. Agora, também vai poder saber um pouco mais sobre o assunto.
Este é o terceiro ano consecutivo de publicação do Relatório Vida em Casa (Life at Home) da IKEA. Este novo inquérito quantitativo foi realizado em 12 cidades de todo o mundo, resultando em mais de 12.000 respostas. O inquérito foi realizado em colaboração com a agência sueca de business intelligence, a United Minds, através de painéis online em Berlim, Londres, Moscovo, Mumbai, Nova Iorque, Paris, Xangai, Estocolmo, Sydney, Toronto, Zurique e Madrid.
“A casa está cheia de amor, da família, de um companheiro e de outras pessoas.
A casa é o lugar onde nos podemos sentir amados.
Todos nós precisamos de amor.”
Pormenor de um pão a ser tirado do forno
O NOSSO ESPAÇO
Quando pensamos sobre o espaço nas nossas casas, a maioria pensa sobre uma área física onde guardamos as nossas coisas e onde realizamos as nossas atividades diárias. Noutras palavras: quatro paredes e um teto. Mas o espaço não é apenas uma estrutura física - é também uma experiência sensorial. Os nossos sentidos são importantes blocos de construção para a forma como percebemos o que nos rodeia: uma espécie de quarta dimensão para além da física.
o nosso espaço
AS NOSSAS COISAS
As nossas casas estão cheias de coisas: livros, ferramentas, roupa, decoração e muito mais. As coisas com que nos rodeamos ajudam-nos a satisfazer as nossas necessidades básicas. Nós comemos, dormimos, vestimo-nos. Mas as coisas são muito mais do que objetos. As coisas ajudam-nos a fazer, a experimentar, a viver. E também têm um grande impacto na forma como sentimos em nossas casas, como nos sentimos em relação às nossas casas e como criamos significado nas nossas vidas em casa.
Mulher a organizar roupa num roupeiro
“Temos muito a ganhar por personalizar e cuidar melhor das nossas coisas.”
Pormenor de uma mulher à secretária com um computador, livros e papéis, a beber de uma caneca, e uma mão a segurar folhas de papel sobre a secretária
“Com nova tecnologia, podemos estar sozinhos, estando acompanhados - ou acompanhados e sozinhos.”
AS NOSSAS RELAÇÕES
As relações são importantes. Podemos até dizer que são essenciais. Quase metade das pessoas que responderam ao nosso relatório (45%) disseram que a casa é onde mantêm as suas relações mais importantes. Os que estão satisfeitos com as suas relações em casa também se sentem mais felizes e mais satisfeitos com a vida em geral. E talvez não surpreenda que também sejam os que se sentem melhor nas suas casas.
O NOSSO BAIRRO
Dizem que não há lugar como a nossa casa, mas onde está exatamente a casa? Quando perguntámos às pessoas o que é que corresponde à sua ideia de casa, descobrimos que poucos a associavam a um local geográfico. De facto, apenas 7% pensa na sua casa enquanto local específico. Por seu lado, 37% acredita que o conceito de casa vai para além das suas quatro paredes.
Uma mão a acenar a pessoas numa janela